O Batismo, junto com a Eucaristia e a Confirmação, é um dos sacramentos da iniciação cristã – sendo a Eucaristia um sacramento central; todos os outros sacramentos estão ordenados para este. Batizar significa mergulhar ou imergir, e como sacramento nos liberta do pecado e nos torna filhos de Deus.

Segundo o Catecismo da Igreja Católica (CIC), citando São Gregório Naziano, o Batismo:

“É o mais belo e magnífico dos dons de Deus [...] Chamamos-lhe dom, graça, unção, iluminação, veste de incorruptibilidade, banho de regeneração, selo e tudo o que há de mais precioso. Dom, porque é conferido àqueles que não trazem nada: graça, porque é dado mesmo aos culpados: baptismo, porque o pecado é sepultado nas águas; unção, porque é sagrado e régio (como aqueles que são ungidos); iluminação, porque é luz irradiante; veste, porque cobre a nossa vergonha; banho, porque lava; selo, porque nos guarda e é sinal do senhorio de Deus”

Para que uma comunidade paroquial possa celebrar este sacramento é necessária uma equipe de preparação que possa formar pais e padrinhos do batizado, conforme o ensinamento da Igreja.

É com este intuito formativo que a paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Lago Sul, divulga os cursos de batismo previstos para este ano. Serão oito oportunidades, ao todo. Confira a lista:

Abril: dia 11, das 19h30 às 22h

Maio: dia 3, das 14h30 às 17h30

Junho: dia 14, das 14h30 às 17h30

Agosto: dia 2, das 14h30 às 17h30

Setembro: dia 6, das 14h30 às 17h30

Outubro: dia 4, das 14h30 às 17h30

Novembro: dia 1º, das 14h30 às 17h30

Dezembro: dia 6, das 14h30 às 17h30

 

Para mais informações, entre em contato com a paróquia por do telefone (61)3248-0430.

Por: Lilian da Paz 

Fonte Arquidiocese de Brasília

Publicado em Notícias

odo cristão precisa sempre manter a sua fidelidade em responder ao projeto de Deus. Uma das maneiras de se aproximar de Deus é confessar-se ao menos uma vez por ano, conforme nos pede o segundo mandamento da Lei da Igreja. Desta forma, iluminados pela fé recebida em nosso batismo, nos esforçamos para encontrar caminhos para chegar a conversão. Este também é um momento de reconciliação, pois desta forma os cristãos podem receber a graça do perdão.

O Prefeito de Igreja do Santuário Nacional de Aparecida, padre Valdivino Guimaraes afirmou que este é um sacramento muito importante para os fiéis, pois através dele nós nos reconciliamos com Deus.

“A confissão é um momento sagrado em que nós podemos, por meio do sacerdote, contemplar o sacramento da reconciliação. Este é um momento em que nós podemos nos reconciliar com Deus recebendo o seu perdão”, afirmou.

Padre Valdivino ressaltou que, neste tempo da quaresma, nós precisamos nos preparar para contemplar o Cristo que vai ressuscitar, por meio das celebrações, da santa Eucaristia e também por meio dos sacramentos.

Padre Valdivino afirmou que no Santuário Nacional de Aparecida existe um grande cuidado em atender aos fiéis que procuram este sacramento.

“Estamos sempre de prontidão para acolher o povo de Deus que vem ao Santuário Nacional para receber o sacramento da confissão, tendo em vista que o nosso fundador da Congregação do Santíssimo Redentor, Santo Afonso Maria de Ligório, patrono dos confessores, aconselhava a agir com misericórdia no confessionário, a exemplo de Jesus Cristo”, afirmou. 

Confissão comunitária e confissão individual 

 

“A Igreja permite a confissão comunitária quando recebemos muitos peregrinos para serem atendidos em confissão..."

Padre Valdivino nos explica que a confissão comunitária e a confissão individual tem o mesmo valor.

“A Igreja permite a confissão comunitária quando recebemos muitos peregrinos para serem atendidos em confissão, mas não temos um número suficiente de sacerdotes. Desta forma, devemos buscar como alternativa a confissão comunitária, como muitos padres fazem em suas paróquias”.

Segundo o Missionário Redentorista, a Igreja pede que todos, inclusive os sacerdotes, possamos receber o sacramento da reconciliação pelo menos uma vez ao ano. O penitente pode procurar o sacerdote no momento em que ele sentir necessidade.  

confissao_comunitaria_a

Alguns aspectos desse sacramento

Alguns nomes desse sacramento são: sacramento da Conversão (o que se busca ao confessar-se é atender o convite de Jesus à conversão), sacramento da Penitência (esforço que fazemos para ajudar-nos a reparar os pecados cometidos e fortalecer-nos para a luta), sacramento da Confissão (porque confessar os pecados é elemento essencial desse sacramento), sacramento do Perdão (porque através dele recebemos o perdão e a paz) e finalmente sacramento da Reconciliação (porque manifesta ao pecador o amor de Deus que reconcilia).

 

"Os passos para uma boa confissão são os seguintes: exame de consciência, arrependimento de ter pecado, confissão dos pecados e a decisão de não pecar mais".

Os passos para uma boa confissão são os seguintes: exame de consciência, arrependimento de ter pecado (contrição), confissão dos pecados e a decisão de não pecar mais (esse é o sentido da penitência pedida pelo sacerdote).

Ao confessar-se é muito importante que sejam ditos todos os pecados que lembrarmos no momento, especialmente os mortais. Se esquecermos de algum pecado, não tem problema, pois Deus perdoa todos os pecados. Porém, se conscientemente ocultarmos alguma falta grave, a confissão não é plena: é como irmos ao médico querendo ficar curado e ocultarmos um dos sintomas. A confissão das faltas leves também é altamente recomendável, pois nos ajuda a tomarmos mais consciência de nossa condição de pecadores, buscando assim cada dia ser mais semelhante a Cristo.

Os ministros desse sacramento são os bispos e seus sucessores e os presbíteros. Cristo deu o poder de perdoar os pecados apenas a eles. Eles têm missão, apesar de sua condição de pecadores, de serem transmissores da misericórdia de Deus. A graça de Deus adquire uma força maior quando é transmitida por vasos de barro.

Ao recebermos o sacramento, somos reconciliados nos quatro níveis de relação: com Deus, comigo mesmo, com meus irmãos (e por conseqüência com a Igreja) e com a criação.

Uma prática muito recomendável para obter a misericórdia de Deus para com os nossos irmãos e irmãs que partiram para uma nova vida é a indulgência.

Acolhamos o dom da reconciliação, acompanhados por Maria, a mãe da misericórdia

Maria como ninguém, quer que todos acolham o amor do seu Filho. Ela é, como rezamos na Salve Rainha, a Mãe da misericórdia. Com Maria, nenhum pecador está perdido. Um dos últimos recursos que tem o pecador é a Ave Maria.

Acolhamos o dom da reconciliação, guiados por Nossa Mãe Aparecida, confiantes de que Deus sempre acolhe o seu filho pródigo. 

Por Polyana Gonzaga

Fonte: http://www.a12.com

Publicado em Notícias

Francisco enfatizou a importância de ir à Missa aos domingos para receber o Corpo de Cristo que nos salva e une ao Pai


A Eucaristia foi o foco do Papa Francisco, na audiência geral desta quarta-feira, 5, na Praça São Pedro. O Pontífice segue com o ciclo de catequeses sobre os sacramentos, destacando que a Eucaristia está no coração da iniciação cristã, junto ao batismo e à crisma.

O Papa descreveu o cenário da Missa: o altar, a toalha, a cruz que indica o sacrifício oferecido por Cristo naquele altar. Trata-se de um momento em que Pão e Palavra se tornam um só, como na Última Ceia, quando todas as palavras de Jesus se concentraram em seu gesto de partir o pão e oferecer o cálice. “O gesto de Jesus, na Última Ceia, é de extremo agradecimento ao Pai por Seu amor e Sua misericórdia”.

O Santo Padre ressaltou ainda que a Celebração da Eucaristia é mais que um simples banquete, constitui a memória do sacrifício de Cristo. E memória é mais que uma simples recordação. “Quer dizer que, cada vez que recebemos esse sacramento, participamos da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo. A Eucaristia constitui o vértice da ação da salvação de Deus”.

Dessa forma, acrescentou o Papa, é possível experimentar, já na terra, a comunhão com o Pai. Ele destacou a grandeza do sacramento da Eucaristia, o que ratifica a importância de ir à Missa aos domingos.

“Nunca agradeceremos demais ao Senhor pelo dom que nos fez com a Eucaristia. É um dom muito grande, por isso é muito importante ir à Missa aos domingos, não somente para rezar, mas para receber a comunhão, este Pão que é o Corpo de Cristo e que nos salva, perdoa, nos une ao Pai. É bonito fazer isso!”

E todo esse caminho de fé começa na primeira comunhão. Por isso, Francisco defendeu a importância de uma boa preparação das crianças para receberem este sacramento, que é o primeiro passo da pertença a Cristo, junto ao batismo e à crisma.

Por Jéssica Marçal 

Fonte: Canção Nova

Publicado em Notícias