22 Out

Confissões

Nossos plantões para confissões são de terça a sexta-feira, das 9h às 11h30 e das 14h às 17h30. Mas não deixe para a última hora, chegue com um boa antecedência!

Jesus Cristo confiou o ministério da reconciliação aos seus apóstolos, aos bispos seus sucessores e aos presbíteros seus colaboradores, os quais, portanto, se convertem em instrumentos da misericórdia e da justiça de Deus. Eles exercem o poder de perdoar os pecados no Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Todo o fiel, obtida a idade da razão, é obrigado a confessar os seus pecados graves ao menos uma vez por ano e antes de receber a Sagrada Comunhão. Devem-se confessar todos os pecados ainda não confessados, dos quais nos recordamos depois dum diligente exame de consciência. A confissão dos pecados é o único modo ordinário para obter o perdão.

Dada a delicadeza e a grandeza desse ministério e o respeito devido às pessoas, todo confessor está obrigado a manter o sigilo sacramental, isto é, o absoluto segredo acerca dos pecados conhecidos em confissão, sem nenhuma exceção e sob penas severíssimas.

Os efeitos do sacramento da penitência são:

– a reconciliação com Deus e, portanto, o perdão dos pecados;
– a reconciliação com a Igreja, a recuperação, se perdida, do estado de graça;
– a remissão da pena eterna merecida por causa dos pecados mortais e, ao menos em parte, das penas temporais que são consequência do pecado;
– a paz e a serenidade da consciência, e a consolação do espírito;
– o acréscimo das forças espirituais para o combate cristão.

Fontes: Canção Nova e Catecismo da Igreja Católica